Sempre falei brincando que “se você quer aprender novas maneiras de xingar alguém, dê uma passadinha em um estádio de futebol”. É importante você chegar antes do início do jogo e presenciar a hora em que o juiz pisa no gramado.

Os xingamentos acontecem por três motivos: ninguém gosta do juiz (a única coisa com que as torcidas adversárias concordam), quem xinga sente-se superior e, principalmente, a pessoa sabe que não vai acontecer nada com ela, por mais absurdo que seja o que ela fale, pois não é possível identificar um grito no meio da multidão.

Isso independe da condição econômica/cultural. Havendo essa impressão de anonimato, algumas pessoas reproduzem o mesmo comportamento irracional. Certa vez fui a uma apresentação de dança do ventre em uma FACULDADE e não sabia se estava em um festival de dança ou em uma casa de strip-tease, devido aos termos dos mais variáveis níveis que eram proferidos pela plateia.


Em que mundo estamos???

Mas existe um lugar onde algumas pessoas perdem completamente a noção: a Internet. Desde as minhas primeiras trocas de mensagens nos chats on line, passando por trocas de opiniões em comunidades no Orkut, chegando até a revolução do twitter, sempre vi pessoas que, devido ao suposto anonimato, acabavam soltando comentários que jamais fariam se estivessem na frente da pessoa, cara a cara (ou talvez fariam, pois sempre foram folgadas mesmo).

Obviamente, não sou uma pessoa muito pura para perguntar o porquê das pessoas fazerem isso, mas juro que não entendo porque elas realmente acreditam estar protegidas pelo escudo da internet.  Vamos ver se consigo imaginar os motivos dessa sensação de proteção:

1- Na internet não existem leis!
Discute-se tanto sobre regulamentação da internet e votação de novas leis para a vida online que muita gente acredita mesmo que na internet não existem leis. Não sou jurista, mas até onde eu sei, 99% dos crimes que acontecem no mundo virtual podem ser enquadrados nas leis criadas para os crimes do mundo real.

2- A constituição me garante o direito de me expressar.

Xenofobia no twitter – Talvez o tweet mais polêmico de 2010

Esta é clássica! Mas a pessoa que fala isso sempre esquece que além de ser vedado o anonimato, ela pode responder judicialmente por tudo o que foi dito.

3- Ninguém vai me localizar mesmo.


Mesmo usando um nome fake, não é muito dificil encontrar os dados do responsável pelo texto do primeiro screenshot deste post.

A não ser que você seja um expert em despistar rastros na internet passando por alguns proxies anônimos na Rússia, Namíbia e Vietnã, encontrar alguém na web não é muito difícil. Levando em consideração que todo acesso que você faz na internet é logado em algum servidor, e que para assinar um plano de dados você tem que dar seus documentos, localizar alguém acaba sendo uma tarefa que não precisa de nenhum especialista do CSI para descobrir a identidade. Até mesmo nas lan houses os acessos são (ou deveriam ser) logados.

Mesmo com o mínimo trabalho de engenharia social é super fácil encontrar alguém, sem nenhuma quebra de sigilo, somente com os dados existentes na internet.


Pronto!!! Mesmo a pessoa usando um nome fake na internet, foi super simples identificar o usuário no site da receita. Tudo usando dados abertos ao público.

Mas o principal motivo é:

4- Ninguém vai perder tempo com isso
Isso é verdade. Processar alguém é algo extremamente trabalhoso no Brasil. Consultar um advogado, entrar com ação, participar das audiências, etc, etc, etc, até sair um veredito leva meses (ou anos) e, que na grande maioria das vezes, ajuda a apagar somente parte do problema. Mesmo entrando em um juizado especial civil (JEC), existe todo o trabalho de deslocamento, tempo e dores de cabeça. Sinceramente, só vale a pena se a coisa for bem pessoal.

Pois é… Visto que muitas vezes o processo é algo que dará muito trabalho, seguem algumas dicas de como tento ignorar estes problemas, e que talvez sirvam para você.

1- Recolha o maior número de provas possíveis contra a pessoa.
Tudo bem, em um primeiro momento, você não irá processar a pessoa. Mas mesmo assim não deixe de recolher o maior número de provas possíveis. Se for tirar um screenshot (imagem da tela), não esqueça de guardar a URL também, uma vez que a pessoa pode apagar a mensagem (que normalmente ficam guardadas no site original). Copie o endereço completo e cole num arquivo texto junto com a data e hora da mensagem.

2- Desabafe sobre isso com outras pessoas, mas de maneira fechada (por e-mail, instant Messenger ou ao vivo mesmo).
Conversar abertamente faz com que o agressor se sinta importante, ou seja, com a sensação de dever cumprido.

3- Ignore a pessoa.

Se for via twitter, entre na escola “@cardoso”, simplesmente dê block e seja feliz. Se for um blog ou fórum, não discuta com a pessoa.

4- Se seu objetivo é realmente esquecer, evite ficar procurando novas mensagens do agressor ao seu respeito.

5- Veja se a pessoa é meramente um estúpido querendo torrar sua paciência ou se tem jeito de ser um stalker que passou do nível “idolatro a pessoa” para “odeio essa pessoa”.
Nesse caso, vale a pena fazer um BO para deixar registrado o caso na polícia.

Se tiver alguma dica ou comentário, basta escrever uma mensagem abaixo, mas caso queira me xingar, fique sabendo que o seu comentário será ignorado por mim!! re re re re

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*
*
Website