Certo dia recebi de um colaborador da empresa a solicitação de um aumento salarial. Expliquei a ele que, como Gestor de RH e TI, não sou eu quem decide sozinho sobre isto; é um trabalho de análise que leva em conta diversos aspectos, especialmente a avaliação do superior dele.

Mas o que me deixou surpreso foi a resposta do colaborador quando perguntei, com bom humor, por que ele considerava merecer um aumento. Eis: __Porque estou me formando, agora tenho curso superior!

Se você lê este blog em busca de conhecimentos que verdadeiramente possa agregar valor à sua carreira, quero compartilhar com você esta informação valiosa: O fato de você se graduar, ou obter mais uma , duas ou vinte pós-graduações, não significa que necessariamente seu salário vai aumentar.

Empresas não te pagam pela quantidade de diplomas que você tem; também não te pagam pelo quanto você sabe; elas te pagam pelos resultados que você entrega! Claro que, se seus cursos e seu conhecimento servirem para melhorar os resultados, você será mais recompensado. Mas pelos resultados, não pelos cursos ou pelo conhecimento!

Parece que é realmente uma herança que nós brasileiros carregamos, esta de pensar que papel garante alguma coisa! Claro que diversos cargos, quando anunciados, demandam que o profissional seja graduado nesta ou naquela profissão, pois isto é uma garantia legal de que ele estudou determinado assunto e conseguiu demonstrar suficiente conhecimento para obter o diploma. Mas isto de forma alguma garante que ele seja competente. Imagine então ganhar um aumento de salário porque obteve mais um diploma! A situação é a mesma com o domínio do inglês. Há quem pense que tem que fazer inglês em uma escola formal, ou conceituada, pois senão não terá o diploma.

Entrevisto constantemente diversas pessoas com o intuito de verificar se falam inglês para trabalhar, e sequer jamais pedi a algum deles o diploma. Por -que? Por que é só papel.  O que eu quero com papel? Se você conseguir conversar 5 minutos em inglês comigo, pouco me importa se você aprendeu trabalhando como garçom em Dallas ou na melhor escola do mundo. É claro que a situação é diferente se você estiver se candidatando a ser um professor de inglês! (Porque a lei exige!)

Longe de defender que as pessoas não precisam estudar (eu mesmo quero fazer POS / MBA / MESTRADO e o que vier), minha intenção neste post é reforçar o fato de que você sempre será pago por aquilo que você entrega, não por aquilo que você sabe, e menos ainda por aquilo que um pedaço de papel “diz “que você sabe.

De verdade, você até pode ser mais bem conceituado para “entrar” em uma empresa, se tiver o diploma de uma ótima universidade (mesmo assim o que conta é seu desempenho na entrevista), mas uma vez empregado, entenda, ninguém vai te promover ou te dar aumento por ter feito cursos; por mais bem conceituados que possam ser. Menos certificados e mais resultados, é isso que as empresas pedem!

Até mais!

Sabino Junior

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*
*
Website